Olá! O post de hoje é o segundo sobre quartos que pais arquitetos fazem com muito carinho para seus filhos. Como expliquei no primeiro post da série, os pais tiram as fotos e me enviam algumas informações sobre elementos que eles consideram relevantes, práticos, bonitos, que os filhos adoram, que os fazem ter algum sentimento especial. Assim, outros pais podem ter ideias de como deixar o cantinho dos filhos mais aconchegante e prático.

O quarto de hoje é da Helena, de seis meses, cuja mãe, Alice, é arquiteta e cujo pai, Rubinho, é quase um porque frequentou a faculdade de arquitetura tanto quanto a de economia, que é sua formação oficial! A Alice escreveu este texto delicioso de se ler para entendermos melhor a montagem do quarto da Helena.

   

“O difícil de pensar em um quarto para um bebê é não conhecermos nada dele ainda, não sabermos seus gostos e preferências. Então a escolha é dos pais mesmo. Queria que o quarto da Helena fosse moderno e aconchegante, com móveis neutros e berço pé-palito, que eu amo de paixão!

Minha ideia era um quarto colorido que transmitisse tranquilidade e leveza, mas sem ter um tema muito infantil de modo que o que o quarto acompanhasse seu crescimento.

A inspiração da parede principal, e, portanto do tema, veio de uma querida amiga arquiteta e artista plástica Talitha Filipe, que não só criou como pintou cuidadosamente a parede. Os tons de amarelo e cinza, que eram minha referência, se transformaram em uma paleta de cores suaves e os temas geométricos ganharam vida na pintura de uma cidade, que apelidamos carinhosamente da “favelinha” da Helena. (Nada mais perfeito para filha de uma urbanista!) A parede ganhou ainda certa tridimensionalidade com dois elementos que se encaixam no desenho: uma luminária (Oppa design) e um nicho de casinha carinhosamente desenvolvido sob medida pelo melhor marceneiro de todos: o avô da Helena. Os móveis seguem uma linha minimalista em tons de madeira e branco (armário e a cômoda da loja virtual Cantão do Garimpo e o berço da Quater, revendido pela Vila Vanilla). A poltrona, estilo Berger, já era uma peça da casa comprada anos atrás num garage sale e foi adaptada para o quarto com uma capa feita sob medida. Ela é feita em tecido facilmente lavável e tom neutro, assim como o tapete (Lorena Canals). Para “rechear” o quarto, o enxoval do berço em amarelo e cinza (Rian Tricot), bichinhos e bonecas ganhados por parentes e amigos, além do fundamental num quarto de bebê: muito amor!

Assim como a Helena transformou nossa vida, a favela se transformou num lindo colorido e o quarto da bagunça se transformou no quarto de bebê!” – Alice Carvalho

   

Sou suspeita, mas eu AMO o quarto da Helena. Acho de uma sensibilidade e criatividade incríveis a conexão da pintura com os móveis e adornos. Chamou-me atenção também a liberdade que deram para a artista plástica criar, acho importante para fluir a imaginação, dar algum direcionamento do que gostaria e o artista captar isso como inspiração. Sair do convencional, chamar uma artista para pintar a parede em vez de colocar um papel ou uma pintura convencional é ótimo. Geralmente, o charme maior do quarto fica por conta da pintura.

A família da Helena tem uma integrante muito atenta, a Lola, um Pastor de Shetland, que adora compartilhar momentos com a bebê. A Lola é extremamente companheira e protetora. Eu acho que quando a criança se sente bem no próprio quarto, a missão está cumprida, mas quando o animal de estimação também tem como lugar preferido da casa o quarto da criança, aí o trabalho foi perfeitamente feito!

Espero que você tenha gostado e que também te inspire. Deixe seu comentário abaixo dizendo o que mais gostou nesse quarto lindo da Helena.